Cover Image: You'll Be the Death of Me

You'll Be the Death of Me

Pub Date:   |   Archive Date:

Member Reviews

Karen McManus did not disappoint with this book at all. The suspense and thrill kept me on the edge of my seat.
Was this review helpful?
You’ll Be the Death of Me,  by Karen McManus was a fun YA mystery with lots of twists and turns. The characters kept me engaged and thought it was paced well.
Was this review helpful?
Young adult thrillers are one of my favorite stories to read and Karen McManus never disappoints. You’ll Be The Death of Me  is a story of an unlikely friendship of 3 teens who all share the bond of experiencing a very bad day. The story was fast paced, twisty, and enthralling. I wanted more from the ending but still enjoyed the journey.
Was this review helpful?
What starts as a day of fun and mischief quickly spirals out of control when three high school friends follow another student skipping school and stumble upon his murder. As they try to piece together what happened, it turns out they have more in common with the victim than they thought – and are all hiding secrets. This fast-paced thriller will keep you guessing until the very end. With twists and turns at every corner, this book is sure to keep you entertained from start to finish. If you're a fan of One of Us Is Lying, then you'll definitely want to check out this suspenseful read.
Was this review helpful?
I will read any and every book Karen McManus writes. Period. End of story. I cannot even begin to explain the hold this author has on me. This book: the climax? the suspense? the plot? All absolutely breathtaking.
Was this review helpful?
I liked this book a lot. I had half of my guess right so I love that I was surprised at the end. I enjoyed that there was an added little love story in here. It is super fast paced and takes off almost immediately. I recommend picking this up!
Was this review helpful?
This book is fun, though I enjoyed One of Us is Lying, The Cousins, and Two Can Keep a Secret a bit more. However, when it comes to YA Thrillers, you'll be hardpressed to find a better writer than Karen McManus!
Was this review helpful?
My third Karen McManus book after the One of Us is Lying series and this one was my favorite. I got through it in a day even during a reading slump. McManus writes a great YA thriller and I really enjoy how she tackles high school stereotypes. I didn’t guess the ending either which I always appreciate when I’m reading a mystery. I would definitely recommend it to any YA fans. 

Thank you NetGalley!
Was this review helpful?
Okay so this is probably the best Karen McManus book out there. She gets better every freaking book. The relationship dynamics were interesting and full of history that helped make the characters seem like real people we were getting to know. The mystery itself was exquisitely plotted and paced, and I honestly could not stop reading it once I started, I always needed to know what happened next. Thought provoking at turns, chilling at others, this is a thriller that will keep you guessing right until the final pages.
Was this review helpful?
This was basically like "Ferris Bueller's Day off" included murder and drugs. It was a fun little mystery YA book and I did enjoy it a lot. Ivy honestly reminded me of myself in some aspects. My sister and brother were seen as gifted. I ended up putting a lot more pressure on myself and I understood Ivy's personality a lot. That whole overly stressed-out character just vibes with me. Our other two characters, Cal and Mateo were fantastic characters as well. Cal was a little naive in general but I liked them. The book went by really quickly and it's very interesting.
Was this review helpful?
Karen McManus once again brings exactly what gets my students reading. They are devouring this book over and over again.
Was this review helpful?
I always look forward to the new Karen M. McManus book. A well-written, fast-paced story is just what I was looking for and You'll Be The Death of Me delivered. Switching between multiple viewpoints kept me into the story and connecting the dots.
Was this review helpful?
Os ex-amigos Cal, Mateo e Ivy decidem matar aula em um dia difícil para os três. Eles querem reproduzir um dia bom para os três. Cal acabou de terminar um relacionamento, está apaixonado por alguém proibido e só quer um dia com os amigos. Mateo está passando por um momento difícil, sua mãe foi diagnosticada com uma doença crônica, a prima está se virando como pode e ele está trabalhando em vários empregos. Já Ivy, perdeu a presidência da classe e está em um dia difícil, prestes a ver seu concorrente fazer um discurso. Porém esse dia só fica mais estranho quando eles presenciam o assassinato de um colega. Agora os três terão que correr para não levar a culpa e desvendar esse mistério.
.
.
Eu adoro os livros da Karen, ela consegue me prender com uma narrativa interessante e personagens que tem dramas bem adolescentes. Então se você gosta de um estilo de suspense mais jovem esse livro é para você.
.
.
Ivy tenta compensar o fato do irmão ser super inteligente com uma conduta impecável. Ela sofre uma pressão para ser perfeita que acaba a deixando paranóica as vezes. Ela era amiga de Cal e Mateo, mas depois de um beijo os três acabaram se afastando. Então passar um dia com os dois parece algo fora do comum.
.
.
Mateo é quem tem a vida mais conturbada dos três. Depois que sua mãe foi diagnosticada com uma doença rara, sua prima começou um esquema que vai trazer muitos problemas. Ele assumiu uma responsabilidade que não é dele e tudo por conta de seu pai que não tem nenhuma noção de nada.
.
.
Cal, por sua vez, vive um romance proibido que está deixando sua vida de cabeça para baixo. Ele sentiu falta dos amigos e vê nesse dia uma oportunidade dos três se aproximarem.
.
.
Mesmo sem saber o assassinato está ligado a segredos desses três amigos que vão descobrir que nem sempre as coisas são o que parecem.
.
.
Eu super indico para quem ama o gênero e para quem gosta de livros com adolescentes.
Was this review helpful?
Another mystery with lots of twists and turns. Karen McManus knows how to engage readers in her characters and keep a plot moving. Another win with this latest one!
Was this review helpful?
Como vocês já sabem, essa resenha é em parceria com a Random House Internacional, de quem recebemos esse eARC (Advance reading copy: algo como “uma cópia de leitura avançada”, ou seja, o livro ainda pode sofrer alterações antes de ser publicado). Também lembrando que essa resenha terá um formato diferente: por ser um ARC, não haverão quotes, já como os livros podem sofrer mudanças em seu texto antes de serem comercializados. Gostaríamos de agradecer profundamente a Editora pela oportunidade de parceria.

Eu adoro os livros da Karen McMamus pelo simples fato deles serem uma espécie de gênero dentro do gênero: eles são livros de suspense dentro do gênero jovem adulto. Todos com pequenas grandes tramas de morte e mistério entre adolescentes que parecem que esqueceram que tem pais (e todos poderes públicos ao redor deles também). É divertido ler um grupo preso na detenção tentando descobrir quem matou um deles (como no 1º livro da trilogia “Um de nós está mentindo”) ou acompanhar uma adolescente que vai para a cidade natal da mãe e descobre muito sobre o passado de uma tia desaparecida (“Mortos não contam segredos”, que é, de longe, meu favorito da autora) ou ainda acompanhar primos que nunca se viram em uma confusão sem fim para saber quem irá ficar com todo dinheiro da excêntrica avó (“Os Primos”, que também li o eARC e resenhei) – acho que vocês já entenderam que eu gosto da autora e de suas tramas, então claro que quando tive a oportunidade de ler a nova trama dela, cai de cabeça. Mas, dessa vez, eu sai confusa. De verdade.

A questão é que “You’ll be the death of me” parece seguir a ideia de todos outros livros da autora, mas só parece mesmo. De todos livros da Karen (o único dela que não li foi “Um de nós é o próximo”, a continuação de “Um de nós está mentindo”), esse é o livro mais “adulto” da autora e digo entre aspas mesmo porque não espere mais sangue ou mais mortes ou crimes horrendos porque não é isso: aqui a diferença foi realmente no clima da trama. Em todos os livros da Karen, a sensação que a gente tinha era que os personagens de uma série de TV adolescente estavam tentando ser adultos, com aquelas tiradinhas que a gente adora ver pra se divertir e passar o tempo, tomando decisões absurdas que levam o leitor a gemer alto enquanto os personagens se apaixonam e pesquisam o passado de um personagem escutando música fazendo referências a cultura pop. Essa é a fórmula da autora e eu adoro (sim, gosto da farofa, me julguem). Mas, aqui, o clima está diferente. Mais “adulto”. Mais sério. Talvez a autora tenha amadurecido sua escrita, talvez tenha sido simplesmente sua intenção, e hey, eu não estou falando que não me divertir (porque sim, me diverti, mas de outra forma).

Indo aos personagens principais e já falando sobre a trama, Cal é um personagem que eu acreditei que não iria render porque ele parece bastante normal para todo garoto de sua idade: gosta de gostar de alguém, parecendo pular de relacionamento para relacionamento, meio nerd e a ideia de matar aula com os amigos (como tem na sinopse) veio dele assim que os encontra. Mas também acho que dizer que os personagens são amigos no começo da trama é demais: eles foram um dia, quando mais novos, e um dia, no passado, mataram aula tendo “O melhor dia de todos os tempos”, como Cal chama. Parece natural que ele queira repetir o dia, mas ele também guarda um segredo sobre porque não querer estar na escola naquele dia.

Mateo é o personagem sofrido da vez, que está passando por vários problemas financeiros desde que o negócio da mãe foi fechado e vou me resguardar de comentar qualquer coisa sobre isso porque sinceramente foi uma subtrama que adorei, mas ele também é o gatinho da narrativa que você imagina que não tem jeito de um adolescente de 17 anos ser bonitão assim.

E então temos Ivy, que é minha protagonista favorita entre todas os da autora agora. Ela se cobra demais porque tem um irmão perfeito, Daniel, que parece conseguir fazer tudo e ser bom em tudo, sobrando para ela tentar a politica estudantil e assim arrancar aquele velho sentimento de aprovação dos pais. Ivy tem a capa de ser uma “Mary Sue” perfeitinha, mas só parece mesmo porque ela tem um segredo que foi revelado no meio de trama e muda bastante a percepção que temos da personagem (e o que me fez gostar dela, confesso).

Ivy perdeu, depois de 2 anos sendo a presidente da turma, a eleição para Brian ‘Boney’ Mahoney (só a história de como o apelido dele aconteceu me fez rir por uns 10 minutos de tão boba) e está desesperada demais para não estar na escola naquele dia porque é o dia que Boney irá assumir a vaga de presidente e fazer o esperado discurso, o que a deixa engatilhada demais, já como no semestre passado, ainda presidente, alguém trocou seus cards de leitura e ela passou uma grande vergonha na frente de todos. Acho que já deu pra entender que tem muito, muito dentro de Ivy prestes a explodir, certo?

Depois que Cal, Ivy e Mateo se encontram no estacionamento da escola e aceitam a ideia de Cal, saindo de carro para fora da escola, eles ficam pensando para onde poder ir porque depois de se afastarem, eles não parecem ter muito mais em comum, até que terminam indo para em um prédio aonde várias pessoas vão passear. E então esse outro aluno (sem entregar quem é, apesar de imaginar que vocês já sabem) aparece lá, também matando aula, deixando uma Ivy furiosa – e também outra pessoa, já como ele é morto, para desespero do trio que vê tudo.

Eu sei, eu sei que parece tudo muita coincidência, mas é assim que as tramas da autora funcionam e eu me delicio em cada uma delas (já falei, gosto da farofa às vezes), mas, dessa vez, depois que o tal personagem é morto, as coisas parecem complicar em um clima um pouco mais sombrio do que o leitor espera (mas, de novo, não esperem um livro adulto porque não é!). Parece que cada vez mais quando tentam fugir daquela confusão, mais o trio principal é sugado para dentro dela – e atenção aqui porque o livro se passa em questão de horas: aqui não temos uma trama que perdura dias e sim os personagens correndo contra o tempo, o que também foi um diferencial para a leitura ser bastante ágil.

Qualquer coisa que eu fale a partir daqui será um grande de um spoiler, então vou ficar por aqui afirmando que quem gosta dos livros da autora, definitivamente vai gostar de “You’ll be the death of me” também – talvez, como eu, estranhar um pouco o tom, mas nada de novo sob o sol.

Aqui no Brasil, os livros da autora são publicados pela Galera Record, e entre eu receber este eARC, ler, resenhar, festejar o final de ano em família (porque também mereço, poxa!), a Editora anunciou a publicação e o livro já entrou em pré-venda com o (criativo) nome de “Assim você me mata” (corre aqui Michel Teló! Sim, eu fiz esta piada) e acabou de ser publicado nesta semana. E ah, ainda sobre a autora, a série “Um de nós está mentindo” baseada em seus livros mais famosos (os 2 já publicados da trilogia “Um de nós”) chegou a Netflix hoje, então já tenho a minha maratona da noite garantida.

Seja como for, se jogue nessa trama e eu prometo, prometo mesmo, que não vai ser o livro que vai mudar sua vida e nem te fazer ficar loucamente apaixonado, mas que quando termina, vai te fazer dar um sorrisinho porque tudo ficou bem amarradinho e fechado. Enquanto isso, eu já estou aqui, esperando o próximo livro da Karen para me divertir com a farofada louca que virá.

Thanks for the free book, Penguin Random House International.
Was this review helpful?
Ivy, Cal, and Mateo once shared the Greatest Day Ever in the Sixth Grade.  Throughout middle school they were inseparable.  Then, for reasons not quite clear to any of them, they went their own ways in the high school they attend until what they describe as the Worst Day Ever takes place in September of the their Senior Year.  This book was so enthralling, it's hard to share details for fear of spoiling a terrific YA suspense story.  Definitely has inspired me to read #KarenMMcManus' other titles.  Thank you for a wonderful afternoon of reading #NetGalley
Was this review helpful?
I always look forward to a new Karen McManus novel, and this one was no exception. As enjoyable as it was to watch Ivy, Cal, and Mateo figure out how Boney was killed, and by whom, I will say the culprit, and circumstances surrounding, seemed almost cartoonishly villainous. However, the red herrings, and the interplay between the three main characters, helped minimize the somewhat out-there nature of the resolution.
Was this review helpful?
Meh. I think it’s hard for me to get past the idea that high school kids can solve something this complex without 1. Getting the cops involved or 2. Having them cops find out they are meddling. Felt very surface level with the characters.
Was this review helpful?
This was not my favorite Karen McManus book. It reminded me a lot of "One of Us is Lying". It felt very reminiscent of "Ferris Bueller's Day Off" with murder. I did like the concept and the secondary locations were nice. I figured out the ending prior to the twist, though that may be because I read alot of thriller/suspense. It feels like YA thrillers set in schools are continually making teachers the "bad guys" and as a teacher, I'm not sure how to feel about this. I did like the book overall and did purchase it for my library. Fans of McManus will enjoy this book.
Was this review helpful?
Gahhhhh I’m so torn and frustrated over this book. I have loved McManus’s previous books and was so excited to dive into yet another of her twisty stories that keeps me on the edge of my seat. Instead, I was having to force myself to even want to pick this up and enjoy it. If it weren’t for the fact that I picked this as a buddy read choice, I probably would have DNF’d this one. It wasn’t badly written, nor did it have anything majorly problematic for me…it was just….boring? It almost felt as if Karen didn’t even write this book, that’s how different it was from her other stories.

Our three main characters never got their hooks into me and I honestly didn’t believe any of their friendship. None of it felt genuine , so that made it even harder to tolerate their conflict.

The actual muster was so far from the forefront of my mind, that by the time the high impact ending came up, I just was so underwhelmed. Not to mention, it was highly unbelievable. I’m willing to suspend a lot of belief in books, especially mysteries and thrillers…but it was all just so disconnected and entirely too much.

I’m going to blame this as a one off on McManus’s part and believe either the pandemic or just the last two years in general hit her ability to connect with her art like it hit much of us. I’m excited for whatever she writes next, as I’ve always enjoyed her books, and like I mentioned earlier, the writing in this was bad, just the plot and characters fell flat.
Was this review helpful?